terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

DIVAGAÇOES

eu estou numa lan hause,
nao tenho cds com minhas imagens,
Assim hoje vou apenas fazer divagaçoes.......
a cidade hoje aqui amanheceu embaixo de uma chuva
torrencial, um verdadeiro
inicio de diluvio.
eu dormia como uma pedra, e se o diluvio chegasse
eu certamente seria transformada em uma.Eu queria que
eu
como pedra fosse uma pedra negra e dura, e brilhante ao lapidar,
um diamante negro.
Mas a chuva passou e eu depois do meu cha de jasmim,
se eu fosse uma flor poderia ser um jasmim imperial,
branco e aromatico, e desejado por um imperador chines,
fui continuar a bordar.....
bordar uma colcha branca
mas cheia de figuras encantadas e coloridas...........estah ficando
linda, um certo ar de imaculada.sera que eh
porque sera presentada a uma noiva?,,,,,,,,,,,,,
se eu fosse uma noiva,
queria ser um noiva judia,,,,,
bordei ate a exaustao
faminta o estomago a pedir alimentos,
:
a minha refeiçao foi totalmente vegetariana
e se eu fosse transformada em vegetal, quera ser um arroz cateto,
perolado, gostoso e bem degustado por
um artista japones!
terminada esta frugaz refeiçao, fui escrever cartas.
escrevi para duas
amigas do sul-maravilha,
a Leila, do Rio deJaneiro e a Vanessa, de Guarulhos, SAP.
Se eu fosse transformada em carta queria ser
as cartas do EINSTEIN, para sua amada fisica russa.

depois o proximo passo foi escolher
fotos a serem escaniadas para serem usadas na internet
nos blogs.....e
se eu fosse transformada em fotos
eu queria ser as fotos maravilhosas do HELMUT NEWTON.......
e seguramente
isto sao divagaçoes!

Um comentário:

Florzinha disse...

Adorei a fraze ..se eu fosse um vegetal gostaria de ser um arroz integral cateto,dourado sendo degustado por um japones...ahahahahahaha só vc mesma...amei desde qdo ?????me deu atá fome agora...vou correr pro samsara...degustar uma boa comida natureba....um bj querida .

este eh um diario atraves de imagens. a cronologia nunca sera a mesma. ele tanto pode estar no passado como no presente mas sempre com o futuro como meta, como se fosse O OLHO REAL.