domingo, 21 de dezembro de 2008

O Sopro da Natureza







"Quando a Natureza magnanima, suspira,
Ouvimos os ventos
Que , silenciosos,
Despertam as vozes dos outros seres,
Soprando neles,
De toda fresta
Soam altas vozes.
Ja não ouvistes
O murulhar dos tons?
La esta a floresta, pendente
Na ingrime montanha:
Velhas arvores com buracos e rachaduras.
Como focinhos, goelas e orelhas,
Como orificios, calices,
Sulcos na madeira, buracos cheios d'agua:
Ouve-se o mugir e o estrondo, assobios,
Gritos de comando, lamentações,zumbidos
Profundos,flautas plangentes.
Um chamado desperta o outro no dialogo.
Ventos suaves cantam timidamente
E os fortes estrondam sem obstaculos.
e então o vento abranda.
As aberturas
Deixam sair o ultimo som.
Ja não percebestes como então tudo
treme e se apaga?

Yu respondeu:Compreendo:

A musica terrestre canta por mil frestas.
A musica humana é feita de flautas e de instrumentos.
Que proporciona a musica celeste?
Mestre Ki respondeu:
Algo esta soprando por mil frestas diferentes.
Alguma força esta por tras de tudo isso e faz
Com que os seus sons esmoreçam.
Que força é esta?

3 comentários:

manu moema disse...

não deixo de amirar as flores e o animalzinho em meio às folhas verdes,

mas devo admitir que o comentário só veio a existir pela beleza dessa sombra na águas com suas cores...

o mundo fica mais bonito quando você o mostra.

DIARIOS IONAH disse...

Obrigada Manu...
são seus olhos receptivos,,,
como ja dizia alguem por ai,
a vida eh bela!

LivroPronto disse...

Olá!

A LivroPronto Editora convida você, autor, para uma conversa sobre a publicação de sua obra.

Escreva para nós!
gabriela@livropronto.com.br

Um grande abraço!

este eh um diario atraves de imagens. a cronologia nunca sera a mesma. ele tanto pode estar no passado como no presente mas sempre com o futuro como meta, como se fosse O OLHO REAL.