quarta-feira, 4 de abril de 2007

ALHOS E BUGALHOS

sera que tudo se resume na culpabilidade do SEXO?
A mulher crrengando o UNIVERSO dentro de SI!

menina, que aos oito anos ja cuida dos irmaos menores, enquanto sua mae, trabalha de domestica, cuidando dos filhos da outra mulher que esta trabalhando em outra funzao,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,



filha/filho



filho / filha



De uma conversa orkutiana que tive com a minha amiga Mariana CHAUVIN,saiu o texto que vou escrever aqui hoje e tudo por causa de Madame BOVARY, livro que ela esta lendo no momento; a relazao ruim da mae com a filha por conta da historia amorosa da mae e do pai .......





Vou dar a minha impressao sobre relacionamento mae/filho/a.





Para mim o filho/a eh essencialmente da mae, que a carrega durante nove meses,de aonde este personagem enigmatico ouve seus pensamentos, respira seu sangue e se alimenta do seu alimento.Uma intimidade que depois nada pode desfazer , mesmo nos casos em que mae e filho/a supostamente nao se dao bem.Mesmo com o corte do cordao umbilical, muitas vezes segue vida afora, com muitas picuinhas ou nao........





Nao estou querendo com essa minha teoria tirar o merito do pai, ate acho bem bonito um pai carinhoso ,assim como um gato lambendo outro.Mas confesso que tenho bem pouco conhecimento de pai assim,,,





Inclusive este meu assunto ja foi motivo de varias desavenzas com amigas outras;isto porque eu penso que a mulher nao pode descontar num filho ou filha sua ma relazao com este pai.Eh independemnte este sentimento.Nao se pode misturar ALHOS com BUGALHOS.





Mas muitas mulheres acreditam que o filho/a eh eh apenas uma copia extensiva, deste homem que eh o pai da sua cria, assim quando acaba o sentimento , a relazao ou sei la qualquer que seja a ligazao desta mulher e deste homem





este filho(a) passa a ser atormentado(a) e perseguido(a )pela mae,muitas vezes impiedosamente pela vida inteira afora. E tenho certeza que todos conhecem algum caso verdadeiro do que eu estou escrevendo.





Um tormento gerando outro como um efeito domino.

3 comentários:

Mariana disse...

Creio que a maternidade é uma vocação e nem todas as mulheres nasceram para tal.

Umas dão mais créditos à uma paixão do que um amor de um filho. O que eu considero repugnante... Em vista que os homens quase nunca colocam a mulher em primeiro plano, elas sempre vêm depois do trabalho, do futebol, da cervejinha com os amigos, dos filhos, do carro, etc.

Madame Bovary é uma mulher jovem que tem um casamento frustrado...Em alguns momentos, pra se afestar do "amante" ela posa de mulher exemplar, não deixando faltar patavina pro marido e zelando a filha de tal forma que dá nos nervos.
Mas quando ela fica apreensiva, por conta do sentimento que ultrapassa a razão, ela esquece do marido, trata ele com desprezo e com hostilidade e renega a própria filha, se irrita quando a pequena pede colo e acaba machucando a garota, depois, com a consciência pesada, vela o sono da garota...

O pai, um bobalhão, acha que a mãe é uma pessoa exemplar...mal ele sabe o que se passa por dentro daquela mulher.

Enfim, madame Bovary é apenas um reflexo do que acontece por aí...
Vejo muitas mães que não querem nem saber dos filhos, vivem pra correr atrás de seus machos. Geração de parideiras frias, pois mães não são.

Adorei o post, querida!

DIARIOS IONAH disse...

Mariana dei uma boa gargalhada com o seu comentario.
Mas esta realidade de mulheres parideiras nao eh apenas de nosso seculo,
ha muito que isto existe,desde que o mundo virou mundo com a mulher parindo muitas vezes nem sabendo por que nem como foi etc....
eh dificil ter tomada de consciencia e permanecer nela.
VIVER EH DIFIL porque eh simples por demais!

irlanda disse...

Concordo com ionah, as pessoas é complicam a vida, a vida é simples.
Acho Mm. Bovary longe de ser exemplo de mãe, ela era uma bipolar isso, sim uma pessoa doente eo marido apesar de médico era um babaca apaixonado. E nem toda mulher que tem instinto maternal é mãe, tenho uma amiga super jeitosa com crianaçs que não teve filhos.

este eh um diario atraves de imagens. a cronologia nunca sera a mesma. ele tanto pode estar no passado como no presente mas sempre com o futuro como meta, como se fosse O OLHO REAL.