segunda-feira, 2 de abril de 2007

FILOSOFANDO NO COTIDIANO


Achei muito interessante os comentarios sobre a postagem anterior, falando do trabalho DOMESTICO.Uma opiniao totalmente politica tem algumas verdades e na minha otica de ver a coisa, outras nem tao verdades assim.em relacao ao trabalho escravo, o mundo sempre teve este tipo de trabalho, nao eh uma questao so dos africanos negros.Os arabes usaram este trabalho, escravizando trobos perdedoras em guerra assim como eles fizeram o trafico de escravos ESLAVOS por muito tempo nos anos MIL.

Na epoca do Imperio Romano, os paises que caiam no juco romano era todo escravizado, desde o rei ao mais baixo dos suditos.Os hebreus foram escravos dos egipcios por mais de 200 anos.E em uma das datas festivas mais bonitas do calendario hebraico, chamado PESSACH, se comemora justamente a LIBERDADE, e para sempre um povo livre.

Nao creio que seja somente uma questao mal resolvida da princesa Isabel, que as mulheres negras sejam aqui no Brasil, em grande maioria sejam doemsticas: pois as nordestinas que migram para o sul/sudeste do pais em sua grande maioria tambem vive como domestica e nem sempre sao negras.

Dividir tarefas domesticas deveria ser uma coisa cultivada desde a mais tenra infancia e nao somente com as meninas , os meninos tambem.E isto eh algo que tem a ver 100% com as mulheres que sao quem estao a frente do cotidiano domestico, gostando ou nao gostando.

Digo assim porque ainda eh muito reduzido o numero de homens, sejam maridos,irmaos ou qualquer outro que tem esta consciencia de ajudar nas tarefas domesticas do dia a dia.

Nao vou citar Europa ou Estados Unidos ou Israel ou India, Japao ou China, porque eu vivo a realidade brasileira.

Mas gostaria de saber a opiniao de quem ja viveu em um destes paises ou ainda vivem la...seria bem interessante fazer comparazao.

Um comentário:

Ophaim disse...

É verdade Tamar!
As tarefas domésticas deveriam sempre, desde a mais tenra idade, ser compartilhadas entre os membros da família. Aqui na região sul onde vivo, as meninas se dedicam a trabalhos domésticos, mas os meninos e rapazes normalmente não auxiliam nos afazeres. É alguma questão cultural, penso. Já vi, na faculdade, estudantes homens que deixam tudo na maior sujeira, e quando não dá mais, contratam alguém para fazer a limpeza. É uma pena, mas parece-me que mulheres tendem a ser mais organizadas que os homens no ambiente doméstico.

Quanto ao trabalho escravo, já li notícias de que em fazendas da região norte isto continua acontecendo. Não existe mais escravidão oficialmente, mas ela ocorre na clandestinidade...

este eh um diario atraves de imagens. a cronologia nunca sera a mesma. ele tanto pode estar no passado como no presente mas sempre com o futuro como meta, como se fosse O OLHO REAL.